top of page

Dislexia e Discalculia


Dislexia é um Transtorno de aprendizagem classificada no CID, que não afeta somente a linguagem escrita e oral.

Segundo a Associação Brasileira de Dislexia, "A Dislexia do desenvolvimento é considerada um transtorno específico de aprendizagem de origem neurobiológica, caracterizada por dificuldade no reconhecimento preciso e/ou fluente da palavra, na habilidade de decodificação e em soletração. Essas dificuldades normalmente resultam de um déficit no componente fonológico da linguagem e são inesperadas em relação à idade e outras habilidades cognitivas."


Alguns sinais da dislexia na idade escolar são:


Dificuldade na aquisição e automação da leitura e da escrita;

  • Pobre conhecimento de rima (sons iguais no final das palavras) e aliteração (sons iguais no início das palavras);

  • Desatenção e dispersão;

  • Dificuldade em copiar de livros e da lousa;

  • Dificuldade na coordenação motora fina (letras, desenhos, pinturas etc.) e/ou grossa (ginástica, dança etc.);

  • Desorganização geral, constantes atrasos na entrega de trabalho escolares e perda de seus pertences;

  • Confusão para nomear entre esquerda e direita;

  • Dificuldade em manusear mapas, dicionários, listas telefônicas etc.;

  • Vocabulário pobre, com sentenças curtas e imaturas ou longas e vagas;

Existem comorbidades (comorbidade é simplesmente a ocorrência de duas ou mais doenças relacionadas no mesmo paciente e ao mesmo tempo.) que acompanham alguns transtornos.

Podemos citar na Dislexia o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade), a Discalculia e a Disgrafia.

Existem também comorbidades no âmbito emocional.

Devemos estar atentos ao que se apresenta nas dificuldades das crianças, muitas vezes os pais não fazem a relação de outros fatores que estão ocorrendo, levando em consideração somente a linguagem.


Neste artigo citaremos a discalculia.


Segundo Dr. Clay Brites, um dos maiores neuropediatras do Brasil, "A discalculia é a dificuldade que o aluno tem para aprender tudo que esteja direta ou indiretamente ligado a questões que envolvem números; tais como probleminhas, aplicação e conceitos matemáticos."

Crianças com discalculia do desenvolvimento têm dificuldades na intuição numérica, manipulação de quantidades, memorização dos fatos aritméticos e compreensão e aplicação dos conceitos e procedimentos matemáticos.


Para Professor Rafael Pereira, Neurocientista especialista em dislexia e discalculia, "Existem 6 tipos de discalculia: a discalculia verbal, a discalculia pratognóstica, a discalculia Léxica, a discalculia gráfica, a discalculia ideognóstica e a discalculia Operacional."


A discalculia ainda é pouco conhecida, estudos demonstram que 5% da população mundial tem este transtorno, mas como ele é pouco conhecido muitos educadores não tem conhecimento e instrumentos para identificar.


Alguns sinais da discalculia:


– A criança demonstra dificuldades para aprender a contar os dedinhos da mão. Seu progresso é aquém dos demais coleguinhas;

– O pequeno não reconhece os padrões menor/maior ou mais longo/mais curto;

– O aluno não consegue discernir os diferentes algarismos;

– O estudante não segue a ordem correta dos números (1 a 5, por exemplo).

– Problemas na aprendizagem de operações básicas, como adição e subtração;

– Não reconhece os quatro sinais utilizados no período acadêmico correspondente (+), (-), (x), (/);

– Usa os dedos para contagem simples por não ter facilidade para raciocinar.

– Dificuldades para compreender valores;

– Dificuldades para lidar com medidas;

– Situações corriqueiras como decifrar os resultados em um placar eletrônico;

– Não consegue olhar as horas em relógio de ponteiro;


Segundo Quézia Bombonado, Psicopedagoga, se a discalculia não for diagnosticada a tempo pode atrapalhar o desenvolvimento escolar de maneira mais ampla, afetando a sua autoestima, podendo desenvolver problemas de conduta, como por exemplo, pode se tornar apático ou desinteressado, torna-se inseguro, não acreditando em sua capacidade.


A criança pode desenvolver uma aversão por matemática ou a ansiedade matemática como descrito no artigo anterior.

Devemos ficar atentos e ao desconfiar procurar um profissional para fazer um diagnostico sério e identificar o grau de comprometimento e as subáreas da matemática que foram prejudicadas.



Referências

PEREIRA, Rafael Silva, RODRIGUES, Inês Salgado. Bateria de aferição de competências matemáticas. Editora Norma. 2013




18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page